Você sabia que as bactérias dos gordinhos são diferentes das bactérias dos magrinhos? E que isso tem tudo a ver com o nosso peso?

No Bem Estar desta segunda-feira (28), Doutor Fábio Atuí, cirurgião do aparelho digestivo, explica como ser magro de ruim tem tudo a ver com as bactérias do intestino. E elas podem ser também uma arma contra a diabetes, já que estudos demonstram que pacientes diabéticos têm uma microbiota que não é considerada equilibrada. A alergista Ariana Yang conta ainda como as bactérias do bem ajudam a deixar o nosso corpo mais forte.

Uma diversidade pobre de bactérias pode ser prejudicial à saúde. As pessoas magras têm maior diversidade de bactérias que as obesas e isso interfere até no processo de emagrecimento. Alguns tipos de bactérias encontradas na microbiota de pessoas obesas contribuem para a ineficiência da dieta porque são bactérias que conseguem absorver mais calorias em tudo, até no alface, por exemplo. E mesmo que a pessoa coma apenas verduras, ela engorda mais porque uma microbiota “obesa” absorve muito mais.

O conteúdo energético que extraímos da comida depende do que nossa “fábrica microbiana” foi treinada para esperar. Além disso, as dietas ricas em gorduras transformam a flora intestinal e contribuem para aumentar a inflamação crônica dos obesos.

Fonte: G1 – Bem Estar

Share This